velas

A acolhida

No dia 14 de setembro de 1859, entraram no Cairo: era a festa da Exaltação da Santa Cruz, prelúdio de outras imolações, mas, também, de outras tantas incontáveis alegrias. As missionárias chegam logo a paróquia do bairro chamado Muski. Assim como São Francisco e os primeiros companheiros acolheram Clara na Porciúncula, os frades franciscanos de Muski acolheram as seis missionárias com velas acesas, ao som do órgão e cantos de louvor e ação de graças. Depois da celebração, entre a multidão festiva, foram conduzidas a Clot-Bey um dos bairros mais pobres do Cairo, habitado por cristãos de várias origens – e alojadas em humilde e pobre casa, comprada, antecipadamente, para elas, pelo Frei Giuseppe Modena e por Mons. Guasco.

Isabel Luiz